Publicações

22/07/2009 GM é case da economia gaúcha

Não há como negar que o investimento da General Motors do Brasil em sua unidade industrial de Gravataí é importantíssimo para o Rio Grande do Sul. Trata-se da concretização de um “case” autêntico, palpável e indispensável sob forma de Parceria Público Privada (PPP). 
Privada porque a General Motors do Brasil, com recursos de seu caixa e após pertinentes avaliações econômicas, enxergou na planta de Gravataí e nos seus sistemistas “just in time”, condições plenas para crescimento em um mercado que anseia por novos produtos adequados à realidade econômica surgida após as turbulências de 2008.
 Pública porque o Estado, no escopo do plano de gestão de resultados e na promoção do desenvolvimento sustentável, vê no complexo industrial automotivo da GM um fator de crescimento da receita, não só do próprio Estado, mas nas suas instituições financeiras como é o caso do Banrisul e BNDES. Importantes agentes da parceria estabelecida. E ainda, na promoção do desenvolvimento social pela criação de novas vagas de trabalho para uma nova geração de mulheres e homens que anseiam por oportunidades.
 A iniciativa que teve o aval e a assinatura da governadora Yeda Crusius num gesto que marcará a história gaúcha, contribuindo ainda para aquilo que buscamos com afinco: inovar e agregar tecnologia às cadeias locais de produção. Ingressamos em uma nova fase tecnológica. Falamos de um produto em que a eletrônica, por exemplo, que já é um dos principais componentes de um automóvel, exigirá mais e mais conhecimento e, por extensão, preparação de técnicos em diferentes níveis com conhecimento e capacidade de participar ativamente do processo.
A GM tem uma história consolidada no Rio Grande do Sul. Com essa PPP, resultado de um consenso em torno de um programa concreto e objetivo, se pode, antecipadamente, projetar os resultados. Temos a certeza que agora possuímos um “case” para mostrar aqui e no exterior. No nosso programa de atração de investimentos, o Rio Grande do Sul, por sua privilegiada posição geográfica, pujança econômica e qualificados recursos humanos, é um mercado estratégico para sediar qualquer investimento produtivo.
Fonte: Jornal do Comércio